Provérbios à moda salomônica III

  1. Quando dança o sábio lhe tomam por louco, mas dançando o louco ninguém presta atenção.
  2. Quando desce o sol, desce também o trabalhador à sua cama. Mas o preguiçoso com a lua põe-se de pé.
  3. A morte do justo pranteia o justo, mas morrendo o iniquo pranteia todo o povo.
  4. Aborrece seu pai e entristece sua mãe o filho que não deseja para si gerar filhos e filhas.
  5. Um prato de dor é o adultério: um pão suave de formas, mas que ao paladar é sangue pisado.
  6. A voz do arauto não será ouvida quando invadirem os inimigos se sua boca a todo tempo profere mentira e diz “foi brincadeira”.
  7. Doce é a uva e amargo o fel, mas o profeta ao amargo prefere quando deve guardar-se das corrupções da mesa do rei.
  8. O canto da congregação alegra os justos, mas aos rebeldes enche de furor.
  9. A palavra do justo empenhada diante do profeta mais vale que todas as reses do rei no altar do sacerdote.
  10. Se dormita o vigia, perece todo o povo; mas, se dorme todo o povo, perece o vigia e também todo o povo.

Autor: Dayher Giménez

28 de abril de 1989, A.D.: nasci. Desde então, penso. Pindoramense e granadino, paulista e andaluz, brasileiro e espanhol. Neto de imigrantes e exilados por três costados (espanhol, austríaco e italiano) e brasileiro da gema por um costado (a tríade miscigenária da Terra de Santa Cruz). Graduado primordialmente em História pela antiga Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Catanduva e em outras “coisas” — a grande palavra medieval! — da universitas magistrorum et scholarium. Em religião, cristão reformado. Em política, conservador libertário. Em futebol, palmeirense. Eis os crivos básicos. Ouso escrever sobre aquilo que me chama a atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *