Cinco pensamentos | Gênesis 2

Cinco pensamentos sobre o Sermão de 30.9.2018, acerca de Gênesis 2, do Rev. Benones Santos, pregado na Igreja Presbiteriana de Catanduva:

I. Um homem e uma mulher, juntos por algum tempo, sozinhos os dois nalgum lugar, se tornarão Adão e Eva no Éden. “Si puer cum puellula / Moraretur in cellula…”, canta a Carmina Burana. Impossível que um rapaz e uma moça sem vínculos terceiros compartilhem o mesmo espaço por algum tempo sem que qualquer coisa de afetivo surja em seus corações.

II. A expressão “dominar a terra” pode ser perfeitamente traduzida por “guardar a terra.” Dominar é extrair, mas não é sugar; é retirar, mas não é espoliar; é remover, mas não é arrancar; é fruir, mas não é extorquir. É criar a partir da Criação para que o homem também “veja que é bom” (“vós sois deuses”, aplica-se), não recriar para a Destruição na cegueira do que é mau.

III. Ao homem cabe tomar a iniciativa amorosa. É ele quem deixa seu estado de solteiro e avança em direção a mulher para uni-la a si. A corte, como ao flerte chamavam os românticos, principia com o olhar feminino mas se inicia com o passo masculino. “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne.”

IV. A costela de Adão foi o tubo de ensaio da variabilidade genética humana.

V. Deus nomeia as coisas dando-lhes um ser: o que é como é porquê é — interno. O homem nomeia as coisas descrevendo-as num ente: o que é conhecido como é conhecido porquê é conhecido — externo.

Autor: Dayher Giménez

28 de abril de 1989, A.D.: nasci. Desde então, penso. Pindoramense e granadino, paulista e andaluz, brasileiro e espanhol. Neto de imigrantes e exilados por três costados (espanhol, austríaco e italiano) e brasileiro da gema por um costado (a tríade miscigenária da Terra de Santa Cruz). Graduado primordialmente em História pela antiga Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Catanduva e em outras “coisas” — a grande palavra medieval! — da universitas magistrorum et scholarium. Em religião, cristão reformado. Em política, conservador libertário. Em futebol, palmeirense. Eis os crivos básicos. Ouso escrever sobre aquilo que me chama a atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *